terça-feira, 9 de março de 2010

A Função da Igreja

Certa ocasião uma jovem relatou-me que foi questionado a um grupo de jovens qual é a função da Igreja aqui na terra. Ela continuou dizendo que obteve-se várias respostas, dentre as quais: "prestar adoração a Deus"; "ser um verdadeiro adorador"; "ser representante de Deus aqui na terra", etc, etc, etc. Não quero aqui fazer julgamentos à essas respostas, porém, achei oportuno refletir na resposta para tal pergunta, haja vista em nossos dias presenciarmos o surgimento de muitas denominações (não, Igrejas) com os mais variados nomes, bem como os seus mais variados objetivos e finalidades. Uma grande maioria surgem de divisões provocadas por rebeliões. Seus fundadores (ou rebeldes), insatisfeitos com algo em suas denominações de origem, resolvem, ops!, recebem "revelação" de Deus para fundarem um outro ministério ou denominação. Em grande parte o surgimento destas novas denominações (repito, não, Igrejas) deve ao massageio de ego de muitos que querem ser "cabeça" e não "calda", ou ainda para agradar ou servir como opção para determinados grupos: igreja dos surfistas, dos artistas, ops!, dos ex-artistas, dos homossexuais (não é de ex), etc, etc, etc. Pois bem, sem mais delongas (pois se formos falar destes vícios do nossos dias, dará um livro), quero expor aqui de maneira concisa o que penso ser a função primordial da Igreja enquanto estiver nesta terra.
Antes de mais nada, detendo-nos no original da palavra Igreja, teremos o termo grego "ekklesia", que significa "chamados para fora". Num aspecto histórico, os cidadãos de uma determinada cidade eram chamados mediante o toque de uma trombeta, para reunirem-se em assembleia, num local determinado, para discutirem assuntos peculiares à comunidade. Literalmente, Igreja, refere-se a reunião de um povo, por convocação (gr. ekkaleo). Portanto, a Igreja é formada por um grupo de pessoas chamadas para fora do mundo, para formar um povo especial, pertencer a Deus e servi-lo (é válido ressaltar que Igreja, nos termos ora apresentado, refere-se à Igreja como corpo místico de Cristo (1 Co 12), isto é, a Igreja invisível formada por aqueles que se arrependeram de seus pecados e foram redimidos pelo sangue de Jesus, independente de denominação ou organização local aqui da terra).
Cristo Jesus, certa ocasião, interrogou aos seus discípulos o que diziam os homens ser o Filho do Homem. Após ouvir suas respostas, Ele perguntou: e vós o que dizeis que eu sou? Simão Pedro usado pelo Espírito Santo, respondeu: "Tú és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Daí então, o mestre começou a revelar o mistério (Ef 5.32) que até então estava oculto: a Igreja, a qual as portas do inferno não prevalecerá (Mt 16.18). Esta Igreja está edificada em Cristo, não em Pedro (1 Pe 2.4,6,7).
Antes deste episódio, ao convocar os doze que o auxiliaria a fazer a obra terrena, Jesus, deu-lhes poder sobre os demônios e enfermidades, enviando-os a anunciar: "é chegado o reino dos céus" (Mt 10.1-7). Observe que João Batista, antes de Jesus aparecer para iniciar seus trabalhos, começou a pregar da mesma forma, convocando todos ao arrependimento, "porque é chegado o reino dos céus" (Mt 3.2). Logo, se o Reino dos Céus é chegado, então, Jesus havia chegado. E, Ele veio, enviado por Deus para salvar o homem que nele crer (Jo 3.16), pois, devido ao pecado de um homem todos os demais pecaram (Rm 5.12) e ficaram destituídos da glória de Deus (Rm 3.23). Mas, assim como o pecado veio por um homem (Adão), assim também por um homem, Cristo, veio gratuitamente a justificação dos pecados, pela graça, exalada por Ele na cruz (Rm 3.24-26). Assim, o Filho de Deus veio para salvar o mundo e, ao final de seu ministério, já ressuscitado, entregou a principal função aos seus discípulos: anunciar o evangelho, que é poder de Deus para salvação do homem perdido (Rm 1.16). Portanto, diante de tais relatos bíblicos, concluimos que a função primordial da Igreja é anunciar a tão gloriosa salvação. "O progresso real de uma igreja é avaliado por seu alcance evengelistíco, juntamente com seus frutos espirituais, como resultado da semeadura da Palavra de Deus. Todas as demais atividades são importantes, mas a prioritária e incessante é a evangelização" (Pr. Elienai Cabral. Lições Bíblicas (CPAD), 1°. Trimestre 2007: A Igreja e a sua missão). Entendo que o louvor e a adoração fazem parte da natureza da Igreja, ou seja, é algo que lhe é peculiar, afinal, tudo que tem fôlego louva ao Senhor (Sl 150.6).
Por fim, resta-nos pregar este evangelho a tempo e fora de tempo (2 Tm 4.2). Que seja esta obra o nosso alimento (Jo 4.34), porque, quando este evangelho for pregado em todo o mundo, então virá o fim (Mt 24.14). Por isso, não esperemos sentados pelos outros sinais (Mt 24) para chegarmos aos céus. Do jeito que o mundo está, quanto antes formos, para o Céu, melhor!!!

Com Paz e na Paz,

Cristo em Mente.

3 comentários:

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

José Carlos Bastos disse...

Parabéns pelo ótimo artigo. Também ando as voltas com o questionamento sobre a função da igreja. Muitas pessoas também estão insatisfeitas e o maior rebelde foi próprio Lutero, que corajosamente enfrentou a igreja católica. Acho que a igreja deve ter três funções básicas:1ª)Anunciar o evangelho, a salvação em Cristo e não se tornar apenas uma agremiação de encontros sociais; 2º)Apascentar suas ovelhas. Acolhimento é primordial para todos, novos ou antigos. É na mutualidade sincera que desenvolvemos entre nós amor do Pai; 3º) Ensinar a boa doutrina, quase ninguém sabe do que constitui o cristianismo e suas doutrinas. Ignorância é um campo fértil para a manipulação. Deus nos preveniu: "O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento" Os.4.6. Também acredito nas revelações do Espírito Santo para abrir novas comunidades, creio que Deus dá oportunidade a todos para estarem em uma comunidade em que se sinta bem, desde que não seja contraditória à vontade Dele.

Astrogildo Barbosa disse...

Qual é seu email paulo?